terça-feira, 13 de maio de 2008

Auto-retrato 10ºAno


Os alunos por eles mesmos (Oficina de Escrita dedicada ao auto-retrato):

Diria que o que mais me caracteriza é o meu rosto, daí que seja dele que parte o meu auto-retrato.
Olho-me ao espelho e fixo os meus olhos, tão profundos e escuros, tão atentos, que quase fazem esquecer a testa de um palmo de altura, onde vivem a expressividade e as suas marcas.
Desço. Um nariz bem pequeno, equilibrado e pontuado pelo sinal que mora bem no seu centro. Mais perfeccionista? Complicado... As bochechas de tez morena desfazem-se na boca. Essa, lá em baixo, é enérgica, pequena, avermelhada, nada espessa. Ah! O sorriso não desenha covinhas, o que é um infortúnio...
O cabelo, comprido, é uma tela de castanhos que vai ocultando a testa com a sua franja, muito escalado e irritado com a ondulação.
Sobrancelhas arqueadas e escuras, pestanas grandes e certas, maçãs do rosto que nada confessam: esses são os toques finais.
O meu nome? Íris, de alma e coração.
Íris Vasquez, 10ºC



Distante, etéreo... Muitas vezes, ilustre!
Nos olhos, o verde desafia a esperança.
Na boca, rosa, gorjeios de criança
E na aura, o mistério que a tudo resiste!

É tímido o jeito com que enfrenta e insiste,
Mas corre-lhe nas veias o ardor da mudança
Ilude quem pensa que, por pouco, se cansa
É homem - guerreiro! Não teme, nem desiste.

Libertino em sonhos, excessivo em emoção,
Umas vezes frio, outras tantas vassalo da paixão
Sensível aos afectos, porém esquivo...

Eis a minha humilde pessoa,
Descrita singelamente por mim.
Os outros que o façam vezes sem fim
João Pedro Santana, 10ºC



Olhar sincero, apaziguador
Vejo assim o mundo, sorrindo.
Pele morena, cabelo sonhador,
Rio, sorrio e vou persistindo.

Na vida que me faz caminhar,
Rosto redondo, amante do Mundo
Que me enche o suave olhar,
Nariz pequeno, expressivo, profundo.

Orelhas despercebidas, sobrancelhas arqueadas,
Lábios finos, repletos de mimo,
Maçãs do rosto rosadas

Sonho e amo a vida
Sempre com sabor a mel...
Na vida e na morte assim sou: Isabel!
Isabel Sousa, 10ºC



Cabelos pretos e lisos,
Nariz pequeno e proporcional,
Testa franzida em três pisos,
Personalidade deveras emocional.

Olhos azuis, verdes ou cinzentos,
Sorriso sincero e atraente,
Lábios carnudos que causam lamentos,
Será razão destes tormentos?

Postura calma, transpirando concentração,
Olhar enigmático mas intenso,
Transmitindo dedicação.

Coração azul, ritmado,
Ondas, sol e amigos o mantêm animado.
Mas poderá por isso ser condenado?
Diogo Banha, 10ºC

4 comentários:

Vicente disse...

O soneto do Sanatana está 5 estrelas :'D

Anónimo disse...

muito bom... Parabéns

Rosário disse...

Adorei o auto-retrato da Íris!

Anónimo disse...

Auto-retrato muito bem escrito, PARABENS, aos autores. : D